MARINGÁ

‘Poesia é o Conselho, Slam Pé Vermelho’… retorna com suas atividades em novo espaço

O ano de 2024 promete ser novamente de poesia misturada a concreto, cores e ritmo na selva de pedra e aço de Maringá. O Slam Pé Vermelho, que é o campeonato de poesia falada, programou o retorno dos slams para 25 de fevereiro.

Nos últimos anos, o palco habitual das performances era na praça Deputado Renato Celidônio, mais conhecida como “Praça da Prefeitura”. Mas, neste ano, o local passa por obras do Eixo Monumental, impedindo a ocupação da região do obelisco.

Desse modo, a primeira edição do Pé Vermelho, que é organizado pelo Coletivo de mesmo nome, será na Coletiva Mostra Multicultural, que sempre sedia as finais do projeto. “Já recebemos convites de alguns espaços e estamos buscando encaixar na agenda, então, é importante acompanhar as publicações nas nossas redes sociais (@slampevermelho) para saber onde cada edição vai acontecer”, diz Érica Paiva Rosa, professora, produtora cultural e uma das integrantes do Coletivo, em entrevista à reportagem.

Segundo ela, a temporada de 2024 seguirá a mesma dinâmica dos anos anteriores: realização de edições mensais e os vencedores de cada edição participam da final no segundo semestre, que classifica um representante pé vermelho para a etapa estadual, o Slam Paraná.

Aliás, o Slam maringaense é realizado mensalmente pelo Coletivo Pé Vermelho, formado em 2019 por produtores culturais, professoras de literatura e poetas. Seu objetivo é fomentar a literatura com projetos de formação literária através da escrita, da leitura, da performance, da apresentação pública de poemas e da publicação independente.

Em 2024, o Coletivo mantém os integrantes: Ana Favorin, Érica Paiva Rosa, Gabriel Brunini e Pedro Marques. “Estamos abertos a quem escreve e gosta de poesia, de slam e de produção cultural e queira somar no movimento, pois sempre temos muitas atividades para desenvolver!”, afirma Rosa.

Integrantes Coletivo Festival Pe Vermelho de Poesia Lucas Andrade Leandro
Integrantes Coletivo, no Festival Pé Vermelho de Poesia (Crédito: Lucas Andrade Leandro)

2023, um ano especial e produtivo
Depois de publicar em 2022 a coletânea “Poesia é o Conselho”, via Prêmio Aniceto Matti, com 11 poetas e 22 poemas, o Coletivo Pé Vermelho organizou no ano passado o Festival Pé Vermelho de Poesia, que foi o primeiro festival literário de Maringá e exclusivamente com trabalhos poéticos, apresentando o resultado do trabalho na Residência Poética com os participantes: pílulas poéticas, pocket zines, performances de poesia falada e poemas visuais.

O projeto foi produzido com verba de incentivo à cultura Lei Municipal de Maringá nº 11200/2020 | Prêmio Aniceto Matti/PMM – Conc. 010/2021.

Érica Paiva Rosa avalia que o ano de 2023 foi especial e produtivo. “Realizamos as edições mensais do slam, fortalecendo a nossa comunidade, enviamos representantes ao Slam Paraná e o poeta pé vermelho Gui Fioratti ficou em 2º lugar no estadual, empatado com a poeta Trava da Fronteira. Tivemos dois encontros incríveis na Flim [Festa Literária Internacional de Maringá], com o Sarau Pé Vermelho convida poeta Sérgio Vaz e com o Slam Pé Vermelho convida poeta Midria”, enumera a produtora.

Ela destaca também que o projeto colaborou no amadurecimento e na formação dos escritores com as oficinas da Residência Poética do Festival, “além de termos distribuído mais de mil produtos poéticos para a população, aproximado as pessoas da poesia”.

Em 2023, o Coletivo também apresentou “Caos de Concreto”, da Ana Favorin, que é o segundo livro todo planejado pelo Pé Vermelho, com duas oficinas de escrita criativa e dois lançamentos em que foram distribuídos 300 exemplares.

Sarau com poeta Sergio Vaz Gabriel Brunini
Sarau com poeta Sérgio Vaz (Crédito: Gabriel Brunini)

2024, o que vem por aí
Para a atual temporada, a professora pé vermelho adianta que, no primeiro semestre, serão realizados dois projetos inéditos. Em abril e maio, acontecerá o “Falares: Festival de Literatura Oral”, pelo “Selo Paraná Festivais” da Secretaria de Cultura do Paraná via Lei Paulo Gustavo. “O Falares contempla uma série de apresentações literárias orais com programação principal no dia 1º de maio”, explica Érica Paiva Rosa.

Já em junho (dias 8 e 9), ocorrerá a “Zine Ingá”, uma feira de zines com oficinas, bate-papo sobre publicação independente e espaços para trocas de ideias com diversos zineiros, via Prêmio Aniceto Matti.

“Além disso, ao longo de 2024, realizaremos algumas oficinas e apresentações de saraus e slams pelo Convite à Literatura nas bibliotecas municipais de Maringá”, finaliza.

Agenda de 2024
Agenda de encontros do Slam Pé Vermelho até junho:

  • 25 de fevereiro
  • 17 de março
  • 21 de abril
  • 19 de maio
  • 16 de junho
Festival Pe Vermelho de Poesia Lucas Andrade Leandro
Festival Pé Vermelho de Poesia (Crédito: Lucas Andrade Leandro)

Serviço
Para se informar sobre os locais de cada encontro do Slam Pé Vermelho, acesse seu perfil oficial no Instagram (@slampevermelho).

PUBLICIDADES & PARCEIROS